domingo, 31 de maio de 2009

A Outra Parte.





Pronta para saltar ao primeiro gesto. Por um momento fecha os olhos e ouve: música e silêncio maiores do que palavras podem dizer no ato de um precipício. Até que, num gesto súbito e natural, ele lhe aperta o braço. Já está nua e sente mais que cheiro e calor, mais que beijo e pele. Sente sem saber explicar, como se fosse apenas estar ali, dentre bananeiras, precipício e rua movimentada. Sente o assombro da pedra desmontando embaixo dos pés descalços, a mão que a segura firme pelos cabelos e a voz que lhe sussurra no ouvido esquerdo. Ela estica um pouco o pescoço para que exale também seu cheiro. Ouve: “Te atira”. “Me solta então, me deixa”. “Medo de que te arrependas, que te transformes após a queda”. “Me deixa o medo é meu e me sinto livre”, “te entrega”, “me solta”, “te atira”, “me permite então”, “voa”, “seguras a minha mão com teus braços longos, mas solta o meu cabelo pra que eu possa, com o vento, nua, solta, livre, sem nenhuma carcaça, asas cortadas de borboleta semi-morta, me atirar, desmedida”. “Por quê”? “Eu preciso”. “Por que?” “Quero gritar” “Grita!”, “me deixa, eu me atiro”.

Ele a solta. Olhos nos olhos “até breve”. Volta ainda pela necessidade de um último abraço, beijo contido, “eu te amo”, pensa, e se atira, linda, braços abertos, plena sem saber voar.

9 comentários:

paulo. disse...

partes partes partes... se atira... achei bem legal qdo citas 'olhos', 'música', 'pele' e depois 'movimento', pode ser soar estranho mais acho q existe relação grande no texto, minha interpretação... deixa quieto, viagem... parabéns...

Marianna D'Amore disse...

Que linda ... poesia, drama, verdade...
Menina que ri e me fez rir muito em o cheiro do ralo, se voc~e voltou, faça contato.
O assunto é sério mas ficou poetizado com seu blog.
Nós, estudantes de jornalismo, gostaríamos de convidá-lo a colaborar com nosso projeto experimental de graduação (TCC).
O projeto pretende reunir, em um livro, depoimentos de diversos profissionais com o intuito de contar como acontece a produção de um filme, do argumento à estréia.
Já contamos com a colaboração de nomes como Heitor Dhalia, Uli Burtin e Mariza Leão.
Para isso, pedimos um pouco do seu tempo para uma entrevista, um depoimento contando sua experiência como ator.
Estaremos no RJ do dia 05 ao dia 07de junho para diversas entrevistas e visitas, e aguardamos um contato sobre sua disposição e disponibilidade. Abraços
Marianna e Ticiana
m.damore@hotmail.com

Anônimo disse...

Paula, lembre de nós...Seus admiradores, que não são cultos como você, não são capazes de admirar outra beleza que não a que vem de você. Sendo ela física e intelectual.

Níkolas Bottós disse...

Parabéns Paula! Além de linda e talentosa, é inteligente. Sou, realmente, seu fã!

Anônimo disse...

oi

Daniel Olivetto disse...

ai que delícia de post...

saudades da louka da motoka


alguma visita prevista ao sul?

beijos, amore

Brenda Maciel disse...

Maravilhoso texto, belo.
OS diálogos corriqueiros, fizeram meus olhos saltarem, minhas pupilaas paralizarem. Foquei teu texto, consegui sentir a libedade nua e as asas-inexistentes. :)

Ubiratan disse...

Nossa legal você alem de uma boa atriz esceve bem, não tinha te visto atuando até o cheiro do ralo que olhei pelo ator shelton, mas confesso que você me cativou não com sua bunda mas com o teu olhar, parabéns

Jaguarito disse...

essa é a parte que se sai do buraco "sem título" e encontra novas experiências?

delícia!

:)